FCH inspira futuros profissionais para o mercado de trabalho

A Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa reúne no próximo dia 16 de Fevereiro cerca de 30 empresas sob o tema “Desenvolve o Profissional que Há em Ti”. O evento My Career, promovido pelo Gabinete de Avaliação e Desenvolvimento Profissional (GADEP) , decorre no Auditório Cardeal Medeiros, em Lisboa.

O My Career é uma iniciativa destinada aos alunos das licenciaturas da FCH (Comunicação Social e Cultural, Línguas Estrangeiras Aplicadas, Serviço Social, Psicologia e Filosofia) que pretende colocá-los perante os cenários da vida real das empresas participantes e reforçar a consciência – neste caso também dos professores – do que significa investir em futuros profissionais.

Neste sentido, a FCH vai ser palco de vinte workshops temáticos, em torno de questões que desafiam os alunos a compreender o papel dos profissionais de cada uma das áreas de formação. A iniciativa conta ainda com dez spots que constituem espaços de interacção e envolvimento com os alunos, assumidos pela Comunidade Vida e Paz, SABE, Fidelidade, Consórcio AETC, Amnistia Internacional, Associação de Estudantes da FCH, EF Education First, Fórum Estudante, Mega Hits e Delta.

A sessão inaugural terá lugar às 9h30 no auditório Cardeal Medeiros e estará a cargo de Miguel Gonçalves, da Spark Agency, com a conferência “O Mercado Grita Talento”, powered by Fidelidade.

 

À conversa com…

DSC_025022

Nelson Ribeiro, director da FCH

Human Resources (HR): Que tipo de profissionais procura o mercado actualmente nas áreas das Ciências Humanas?
Nelson Ribeiro (NR): O mercado de trabalho procura cada vez mais profissionais capazes de responder aos desafios que se colocam às organizações e que consigam inovar e criar valor. Neste sentido, os cursos de Ciências Humanas e Sociais, ao desenvolverem o espírito crítico e a criatividade dos alunos, formam profissionais que são uma mais valia para as empresas e organizações que actuam nos mais variados sectores de actividade. Por outro lado, num ambiente profissional em que a mudança e a capacidade de adaptação a novos contextos passou a ser uma necessidade não basta formar técnicos capazes de executar determinadas funções, mas é necessário desenvolver competências que potenciem a capacidade de resolução de novos problemas e a inovação.

HR: Que outras competências são valorizados além da formação académica?
NL: Uma formação académica sólida implica que os graduados saibam pautar o seu comportamento por padrões éticos e deontológicos. Tal é uma preocupação da Faculdade de Ciências Humanas, mas é algo também valorizado pelas empresas e organizações. Por outro lado, a capacidade de relacionamento interpessoal, de trabalho em equipa e de gestão de stress são igualmente muito valorizadas pelas entidades empregadoras com as quais temos maior contacto. As competências sociais e relacionais são fundamentais para o sucesso dos grupos de trabalho, sendo aspectos valorizados desde cedo na formação académica oferecida pela Faculdade de Ciências Humanas da UCP.

5556

José Manuel Seruya, coordenador do GADEP

HR: Qual a pertinência deste evento face aos desafios e oportunidades do mercado actual?
José Manuel Seruya (JMS): Os desafios e oportunidades do mercado são tanto maiores quanto existam pessoas conscientes deles e preparadas para os enfrentar. O My Career, com os seus 20 workshops, constitui um evento que promove a consciência da diversidade de recursos pessoais (valores, saberes, competências) necessários para abordar o mercado actual, e que contribui também para exercitar com grande criatividade e de múltiplas formas o saber-ser e o saber-agir em contexto profissional.
 
HR: De que forma este evento pode ser útil para professores e alunos?  
JMS: A utilidade do My Career para os professores assenta fundamentalmente na oportunidade de reconhecerem o contributo que dão aos alunos para que“desenvolvam o profissional que há neles” – mote deste evento em 2016. Muito do impacto do professor nos alunos, nas mais variadas cadeiras, tem a ver com o proporcionar a consciência do que significa trabalhar nas organizações, e com o treino de competências concretas fundamentais para se ser bem sucedido no trabalho: lidar com o stress, capacidade de se exprimir e de escutar, gerir o tempo, flexibilidade no pensar e no agir, trabalhar em grupo, cooperar, etc. Para os alunos, o My Career estimula a abertura ao conhecimento de si-próprios como futuros profissionais, favorece o entendimento das exigências do mercado em termos de soft skills, mobiliza inúmeras das suas capacidades em contextos de tipo operacional, permite-lhes em suma uma proactividade interessante na construção de si próprios como pessoas preparadas para intervir adequadamente na sociedade e em particular nas organizações.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*