“Algo único” que nasceu de uma provocação

Na XI Conferência da Human Resources Portugal subiu ao palco Roberta Medina, presidente executiva do Rock in Rio, e Agatha Areas, directora de Marketing do festival, para dar a conhecer o exemplo da organização e da evolução do evento ao longo dos anos.

 

Regressando às origens do festival, Roberta Medina recordou que o Rock in Rio nasceu de uma provocação familiar, quando a mãe de Roberta Medina instiga o marido Roberto Medina que este «não tinha feito nada pelo Brasil», numa altura em que o país vivia sob uma ditadura militar. Este foi o mote dado para que Roberto Medina, na altura publicitário, criasse a ideia do festival de música – usando a música enquanto plataforma de comunicação do Brasil. Mas este não podia ser apenas mais um evento musical, teria quer ser «algo único», conta. Desta ambição «nasceu a Cidade do Rock», e com ela formou-se a necessidade de «criar uma infraestrutura de qualidade». E é exactamente esta infraestrutura que «é fundamental para ter um público completamente diversificado – pais, filhos e até avós», sem nunca perder, no entanto, «a vertente jovem».

A partir daqui, o evento cresceu de tal forma que está já presente em quatro países o que leva a «desafios maiores», dá conta Medina. Isto porque, «começámos a misturar culturas» e o objectivo, quando se chega a um novo país, «não é ensinar o que sabemos, mas aprender».

Já Agatha Areas, confessa que muitas vezes se questiona: «Porque é que trabalho há tantos anos no Rock in Rio?». E a resposta é clara: «Por causa dessa multi-diversidade de oportunidades». E é devido a isso, que Agatha defende que «o empreendedorismo deveria ser uma cadeira de Universidade», até porque «precisamos de ser inspirados e de inspirar, e isso reflecte-se nos resultados da empresa».

Leia a reportagem na íntegra na edição de Maio, da revista Human Resources Portugal.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*