A solução é a Meritocracia…

Ricardo Florêncio

Director da Revista Human Resources

Os Portugueses têm um conjunto de características que os tomam fantásticos, distintos, apreciados. E depois apresentam outras que têm de ser rapidamente debeladas, pois são menos positivas e trazem-nos consequência muito nefastas.

Talvez a pior seja mesmo a inveja! Porque, para além de ser uma péssima característica, tem como consequência um certo tipo de comportamentos e atitudes que nos inibem, relativizam, minoram. A inveja nivela-nos por baixo! Torna as pessoas mesquinhas! E, assim, somos uma sociedade que tem alguma dificuldade em lidar com o sucesso dos outros. Não cultivamos o mérito, não reconhecemos e damos destaque a quem consegue e a quem se evidencia!

Portugal não tem, portanto, o culto da Meritocracia!

E precisamos de inverter rapidamente a situação. Necessitamos de alterar radicalmente o nosso modo de pensar e actuar, de ter inveja dos sucessos dos outros, de ter sempre uma carga de negatividade e de desconfiança sobre o sucesso. E o sucesso deve ser premiado. O sucesso deve ser incentivado. O sucesso deve ser reconhecido. Muitas empresas já desenvolveram e implementaram estas práticas para tal, mas tem de se tornar uma prática generalizada. E a função pública e as empresas da esfera pública, do Estado, não podem de modo algum ficar afastadas destes processos. As práticas de incentivo à Meritocracia devem assim ser colocadas em prática em todas as entidades, institutos e empresas.

E esta prática precisa de ser incentivada logo na escola, do ensino básico ao secundário. Logo aí temos de perceber que vale a pena sermos bons, fazermos bem. Que é para, posteriormente, levarmos esses ensinamentos e práticas para as nossas empresas. Este é outro aspecto fundamental para nos desenvolvermos enquanto sociedade e enquanto País.

Editorial publicado na edição de Junho de 2016 da revista HR Portugal

 

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*