Como as grandes empresas criam líderes?

Muito já se escreveu sobre o desenvolvimento de talento e sobre a identificação de futuros líderes. Muito provavelmente, de uma ou de outra forma, todas as ideias estavam correctas. O que vale a pena destacar é que são muitos os que defendem que o talento para a liderança é algo inato. Aliás, esta é uma ideia preconcebida que existe nas empresas mais tradicionais.

O talento é algo que deve ser desenvolvido em toda a gente. Não deve ser visto como um dom adquirido à nascença que alguns têm, e outros não. As grandes empresas desenvolvem estratégias de desenvolvimento profissional para promoverem talento junto de todos os colaboradores e criarem futuros líderes dentro da organização.

As organizações que criam deliberadamente uma cultura de crescimento profissional contribuem para que os líderes da empresa – apesar de já competentes – consigam evoluir para níveis que nunca atingiriam dentro de um modelo de desenvolvimento tradicional.

Esta é uma tarefa contínua e consistente ao longo de todo o tempo de vida da organização, que obriga os directores/CEOs a seguirem uma visão que ultrapassa os simples resultados e números de desempenho. Estes profissionais têm de ter a fantástica capacidade de identificar os potenciais talentos, de ouvir, de avaliar, e de criar uma estratégia de desenvolvimento profissional que dê bons resultados a longo prazo. Têm de ter a audácia de arriscar para conseguirem chegar mais longe que as companhias tradicionais.

Como criar uma cultura assente no crescimento profissional?

  1. Arriscar. Quando a assunção de riscos é explicitamente recompensada, começamos a ver um novo tipo de líderes a aparecer. Desafie os colaboradores a criarem novas linhas de negócios, produtos, serviços, ou mesmo empresas de nicho. Certifique-se que os riscos inteligentes são encorajados e recompensados. Só assim a magia acontece.
  2. Liberdade responsável. A constante promoção de uma liberdade responsável permite aos seus profissionais – nomeadamente àqueles que possuem um maior potencial e uma mente mais aberta – partilharem novas ideias, visões, e criatividade para desenvolverem novos líderes de negócio. A liberdade de pensamento e de acção individual promove, de forma natural, uma capacidade de liderança e dá aos profissionais a coragem de avançarem para algo sem falharem. Este “espaço” de “liberdade responsável” promove o desenvolvimento de novos e grandes líderes em toda a organização.
  3. Todos na empresa têm potencial… A forma como as empresas tradicionais abordam a gestão/desenvolvimento do talento passa pela identificação de um conjunto de futuros lideres, muitas vezes fora da empresa. As grandes empresas “procuram” estes mesmos líderes em todo o leque de colaboradores, assumindo que todos eles têm o potencial, ainda que mínimo, para serem grandes líderes. Apenas necessitam de ter “espaço”, “responsabilidade” e “liberdade” para demonstrarem tudo o que têm para dar.

Os benefícios são enormes, especialmente porque criam oportunidades de crescimento para todos. Todos os anos estes colaboradores vêm a empresa a crescer, sentem que fizeram parte da estratégia de crescimento e que contribuíram para estes resultados. Verá, dentro da sua empresa, um nível de coragem e de bravura que não existe em outras organizações.

O segredo é sempre o mesmo – faça-o de uma forma consistente e coerente para todos!

Texto: Sónia Jerónimo, CEO da Growin

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*