Entrevista a Gonçalo Salazar Leite: Foco internacional

 

A Secil tornou-se numa das referências da indústria de cimento em Portugal, abastecendo em mais de um terço este mercado. E posiciona-se como uma empresa internacional de raiz portuguesa virada para o cliente e com foco nos novos mercados. Gonçalo Salazar Leite, administrador e vice-presidente do Conselho da empresa, fala dos principais desafios.

 

Por TitiAna Amorim Barroso

Fotos Nuno Carrancho

 

O percurso da Secil está ligado à própria história da indústria cimenteira de Portugal, que tem origem na instalação do primeiro forno para produção de cimento no Vale da Rasca, no Outão, junto à foz do Rio Sado, perto da cidade de Setúbal, no início do século passado. Em 1994 é adquirida pela Semapa. No ano 2000 deu-se início o processo de internacionalização: hoje, além de três fábricas em Portugal, a Secil está presente também na Tunísia, Angola, Líbano, Cabo Verde e Brasil, num total de oito fábricas em quatro continentes.

O último Relatório do Conselho de Administração, tornado público, foi referente ao ano de 2015. Um ano que se revelou positivo no que respeita a resultados operacionais, tendo sido registadas melhorias face a 2014, consubstanciadas no crescimento do volume de negócios em 47,2 milhões de euros (11%).

A Secil «tem vindo a adaptar-se a um contexto de maior risco e incerteza, mais digital, com clientes mais exigentes e complexos e crescentes obrigações ambientais e sociais, organizando-se para servir os diferentes mercados em que está e integrar equipas de diferentes nacionalidades», sublinha Gonçalo Salazar Leite, administrador e vice-presidente do Conselho. Faz parte do universo Secil desde 1999, altura em que ingressa na Semapa. Em Maio de 2012 assumiu a posição de CEO da empresa e em Novembro de 2016 passou o testemunho a Otmar Hubscher, de nacionalidade suíça, assumindo a vice-presidência do Conselho da cimenteira.

Conheça melhor este novo ciclo da Secil pela voz de Gonçalo Salazar Leite.

Leia a entrevista na íntegra na edição de Janeiro.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*