Uma questão de Meritocracia

Este foi o tema da XII Conferência Human Resources com casa cheia. Perante uma plateia de mais de 250 gestores de diversas áreas, debateu-se, no dia 25 de Novembro, no Hotel Dom Pedro, a Meritocracia.

 

Por Ana Leonor Martins e TitiAna Amorim Barroso

Fotos Cristina Carvalho e Sérgio Miguel

 

Os principais temas em debate foram “Como atingir a Meritocracia no local de trabalho”, “O Culto da Meritocracia: como promovê-la, evitando os principais bloqueadores” e “É Sempre Possível!”.

Ao longo da manhã de 25 de Novembro, foram deixadas várias ideias-chave sobre o tema: «a assimetria dos possíveis é a grande dificuldade do tema»; «é preciso querer, saber e poder»; «o exemplo tem de vir de cima» (…), mas também «dos lados»; «a formação é importante»; «a implementação da meritocracia é um processo gradual», «tem de se premiar, mas também penalizar», «como bloqueadores ao tema temos o paternalismo e a cultura de networking», «a falta de espaço para o erro é também um bloqueador», «as fracas competências dos líderes são também inibidores da meritocracia», «as quotas são a negação da meritocracia», «da merito(cracia) à potencial(cracia)», «o papel do líder na detecção de potencial», «a meritocracia é primeiro uma questão de cultura e depois de responsabilidade», «empresas de clones são um obstáculo ao reconhecimento do mérito».

A apresentação e boas-vindas esteve a cargo de Ricardo Florêncio, chief executive officer (CEO) da Multipublicações.

No papel de keynote speaker esteve Diogo da Silveira, CEO da The Navigator Company. “A Conversa de Presidentes” sob o mote “Como Atingir a Meritocracia no Local de Trabalho” foi o momento seguinte. Com a participação de Francisco de Lacerda, presidente e CEO dos CTT e José Felix Morgado, presidente da Caixa Económica Montepio, com moderação de Sofia Tenreiro, directora-geral da Cisco Portugal.

Depois de um curto intervalo, foi tempo de assistir à mesa redonda sobre “O Culto da Meritocracia: como promovê-la, evitando os principais bloqueadores” com Anabela Silva, directora de Marketing e Comunicação da BP Portugal; Fernanda Barata de Carvalho, directora de Recursos Humanos da Accenture Portugal; Nuno Ribeiro Ferreira, Lisbon Airport Deputy director ANA Aeroportos; Ricardo Alves Gomes, administrador da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa; Tiago Brandão, director de Recursos Humanos da Unicer; e moderação de Joana Queiroz Ribeiro, directora de Pessoas e Organização da Fidelidade.

A encerrar, Inês Caldeira, country general manager da L’Oréal Portugal trouxe-nos a palco “É Sempre Possível!”.

Conheça as intervenções na edição de Janeiro.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*