“O que pensa o Barómetro Human Resources”

Foi tempo de assistir à apresentação de Patrícia Fernandes, directora de Marketing Estratégico, Comunicação e Inovação da Caixa Económica Montepio Geral, e Pedro Ramos, director de Recursos Humanos da Groundforce, sobre o Barómetro.

 

De acordo com o painel consultado, 51,6% assume que a sua empresa está bem desenvolvida face à introdução/presença de tecnologia nos processos de trabalho, aqui 16,28% crê num muito desenvolvimento; 27,9% assume que está razoavelmente desenvolvido e apenas 4,6% mal desenvolvido. O Barómetro trouxe ainda conclusões sobre a adaptação à utilização de novas tecnologias; os principais impactos da introdução de novas tecnologias na sua empresa; no âmbito da Gestão de Pessoas, onde é que é mais útil o uso da tecnologia; entre outros vários temas.

O painel do Barómetro Human Resources Portugal é fixo e constituído por cerca de 150 profissionais, sendo 75% directores de Pessoas/ Recursos Humanos, 10% presidentes/ CEO) e 15% directores de Marca/ Comunicação e/ ou Marketing.

«A tecnologia é incontornável e chegou para ficar. A nossa responsabilidade é tirar o melhor partido dela. A tecnologia na verdade é um cardápio de funcionalidades que combinam bites e bytes. Aquilo que faz verdadeiramente a diferença, já que todas as empresas podem empregar tecnologia igual, é como é que as empresas preparam as suas pessoas para usarem a tecnologia e a forma como montam os processos em função da tecnologia», assume Patrícia Fernandes.

«Ou seja, a diferença está nas pessoas. Acreditamos que a diferença está nas pessoas, pela criatividade, capacidade de inovar, espírito crítico (…) Não existe tecnologia sem pessoas, é este o pilar que faz a diferença. De facto pode haver o “dark side”, mas a força está em nós!», remata Pedro Ramos.

 

Acompanhe a reportagem do que se passou na íntegra na edição de Abril da revista Human Resources.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*