Recrutamento a crescer no sector da Logística

A Michael Page analisou a evolução do recrutamento no sector de Logística e revela um crescimento de 20% em 2016.

 

No sector da Logística em Portugal foram as grandes empresas que mais recrutaram em 2016, absorvendo 72% dos processos de recrutamento. Procuram maioritariamente directores de Operações, cargo a ser ocupado em 30% dos processos de recrutamento, e directores de Cadeia de Distribuição, a representar 25% dos processos. A função de Supervisor de Logística assistiu a um aumento impressionante da procura, passando dos 8% para os 15%.

Ao longo do ano, as empresas de média dimensão geraram 22% dos postos de trabalho com processos geridos pela Michael Page neste sector, ficando as pequenas empresas com uma fatia de apenas 6%.

O peso das grandes empresas no sector cresceu 8% desde 2015, altura em que geraram 64% dos processos de recrutamento. Contraditoriamente, a expressão de médias e pequenas empresas reduziu em 2% e 6% desde 2015.

Contrariando a norma do mercado de trabalho nacional, Santarém foi a região a absorver mais profissionais para o sector, com 35% dos processos de recrutamento, superando a região de Lisboa, com apenas 24%. As regiões de Setúbal e Leiria desempenharam também um papel de relevo para o recrutamento no sector, com 25% e 16% dos processos, respectivamente.

Em 2016 aumentou o recrutamento de profissionais de Logística fora do sector. A Indústria aumentou o número de processos de recrutamento de 30% para 35% e os Serviços passaram de 15% para 17%.

Filipe Forte, consultor da Michael Page Logística e Supply Chain, constata que «a logística é um dos mais importantes motores da cadeia de valor, facilitando, através da mobilidade, o crescimento e globalização dos mercados. A procura pelos profissionais de Logística não se verifica apenas dentro do próprio sector mas também, e cada vez mais, fora do sector. Na Logística continua a apostar-se na formação de talento, com especial enfoque na formação académica em Logística ou Engenharia e Gestão Industrial/ pós-graduação em Supply Chain, demonstrando a sua procura pela inovação. Esta é também a resposta do sector à necessidade de se reinventar e de reinventar a forma como interage com o cliente, cada vez mais exigente e adepto de relações dinâmicas e com elevado nível de interactividade», conclui.
Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Outras notícias

Comentar este artigo

*