Que organizações no futuro?

Ricardo Florêncio 

No passado dia 16 de Março levámos a cabo a 13.ª Conferência da Human Resources, com o tema “The Dark Side of Digital”. Foi uma conferência muito interessante, cuja reportagem poderá ler nesta edição da Human Resources que chega agora às suas mãos, em que sobressaiu o optimismo com que as organizações estão a enfrentar estes novos desafios impostos pela digitalização do mundo. E assim, do “dark side” passou-se para o “bright side”. Outra das conclusões interessantes deste evento é a importância crescente que as Pessoas vão ter nas organizações, pois serão elas que vão criar e fazer a diferença. São as pessoas, o factor humano, que continua a ser preponderante nas nossas organizações, e assim, o seu principal factor crítico de sucesso. Aliás, e como se referiu, não deixa de ser curioso e sintomático que, apesar de toda a tecnologia, maquinaria, programação e digitalização, mesmo as empresas mais avançadas no campo da tecnologia, quando desejam dar um novo rumo à sua empresa, não mudam as máquinas… mudam as pessoas!

Por fim, uma outra situação que foi abordada prende-se com a própria estrutura das organizações. Faz sentido, nos dias de hoje, termos as empresas organizadas tal como as conhecemos? Pelas direcções que habitualmente conhecemos? Com os níveis hierárquicos que existem? Tornou-se claro que as organizações no futuro vão ter orgânicas completamente diferentes. Vão ser claramente mais “achatadas”, mais rápidas, mais flexíveis e com uma estrutura de funções muito distinta. E assim, as organizações têm de se debruçar rapidamente sobre estas temáticas, pois o futuro já começou…

Editorial publicado na edição de Abril de 2017 da revista Human Resources

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*