Caderno Especial: Formação

Os profissionais de Recursos Humanos dependem de mais da formação formal para o desenvolvimento da liderança. Formas mais estratégicas de aprender e experiências diferentes ajudam a criar futuros líderes.

 

Enquanto estudo após estudo mostram que o aumento da capacidade de liderança continua a ser uma prioridade estratégica para a maioria das empresas, os mesmos relatórios revelam que a maioria dos esforços de desenvolvimento de liderança não cumpre as expectativas.

Leia o artigo, de autoria de Herminia Barra, na íntegra, na edição de Junho da Human Resources e fique a conhecer as boas práticas das seguintes empresas:

CEGOC: Vocação para (trans)formar
Mais do que uma empresa de formação, a CEGOC assume-se como uma empresa de transformação.

Century 21: Marca global e dinâmica
A Century 21 vê na Formação a alavanca para uma performance de excelência dos seus consultores no ramo imobiliário. Sendo um dos factores de diferenciação da marca e parte integrante do ADN.

Consulting House: Formação transformacional
Imagine que alguém lhe pergunta: é racista? É sexista? Com grande probabilidade, a sua resposta será negativa, ou no máximo admitirá ter pouco de cada uma dessas atitudes. E de acordo com o seu conhecimento de si próprio estará certo. Mas de acordo com a investigação em Psicologia Social, nem por isso.

Universidade EDP: O coração do negócio
A Universidade Corporativa da EDP tem a missão relevante de partilhar o conhecimento e desenvolver as competências necessárias dos colaboradores de forma a garantir a sustentabilidade do negócio, em todas as geografias onde está presente.

I Have the Power: Experiências sensoriais positivas
A empresa Solfut – I Have The Power garante oferecer algo inovador e único no campo da Formação aos seus alunos.

NOS Academia: Aposta nas pessoas que fazem a diferença
Como maior grupo de Comunicações e Entretenimento em Portugal, a NOS reúne um universo de cerca de 2500 colaboradores directos e impacta mais de 7 mil indirectamente, em regime de outsourcing, que prestam um serviço comercial e técnico a um universo de mais de 6 milhões de Portugueses. Numa empresa com esta dimensão humana a vertente da formação é um pilar base.

Nova SBE: Aproximações disruptivas
Segura dos benefícios da ligação entre empresas e academia, e tendo no seu ADN ditar tendências, a Nova SBE tem apresentado muitas novidades ao nível dos MBA e da Formação de Executivos.

Olisipo: Posicionamento de excelência
A Olisipo tem uma experiência de largos anos na área da Formação, um dos principais pilares de desenvolvimento dos seus 450 especialistas em Tecnologias de Informação.  

Randstad: A inovação como princípio orientador
Acreditando que a Formação não é um fim em si mesma mas uma abordagem que permite desenvolver uma mudança comportamental, no início do ano a Randstad apostou na criação da área de Human Consulting.

Rumos: Posicionamento premium em Tecnologia
Fundada em 1992, em Lisboa, a Rumos foi pioneira na Formação e Certificação Técnica de profissionais de Informática em Portugal. Assumindo-se hoje como a mais representativa empresa neste segmento de mercado.

TAP: Criar equipas de alta performance
Reforçar eficiência e agilidade para competir num mercado cada vez mais agressivo, é o grande desafio que a TAP tem em mãos. A Formação da TAP é uma das ferramentas utilizadas pela Gestão de Recursos Humanos para contribuir para o crescimento da companhia.

Timing: O foco nas pessoas
A Timing nasceu há apenas dois anos, mas assume-se já como uma das maiores empregadoras privadas no Algarve. O seu core business está na contratação e qualificação dos seus colaboradores.

Conheça estes casos de sucesso de forma detalhada na edição de Junho da Human Resources.

 

Veja também estes cadernos especiais.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*