Felicidade versus burnout: o binómio do momento

Escolhemos dois dos temas tendência na Gestão de Pessoas, desafiando os especialistas presentes no almoço-debate a questionar as suas ideias sobre felicidade e burnout. Numa conversa a um ritmo alucinante, própria de quem domina os temas.

Por TitiAna Amorim Barroso | Fotos Nuno Carrancho

 

Todos querem ser felizes, mas o que é a felicidade? Será esta uma responsabilidade pessoal ou da entidade empregadora? Marcas, empresas e pessoas felizes: resulta em maior produtividade? Pode o burnout estar relacionado com um ambiente hostil e horas a fio de trabalho? Será a doença do século XXI? Como é que se previne? E como é que se trata? Estas foram algumas das questões debatidas por responsáveis de diversos sectores, do Automóvel à Beleza, passando pelo Handling, pela Hotelaria e pelos Seguros. Clara Trindade, directora de Recursos Humanos da L’Oréal Portugal; José Reis Rocha, Country HR manager da PSA Groupe; Manuel Moutinho, director de Capital Humano da NAU Hotels & Resorts; Paula Neto, administradora da Liberty Seguros; e Pedro Ramos, director de Recursos Humanos da Groundforce Portugal, foram os convidados presentes no almoço no The Vintage House Lisboa – NAU Hotels.

A intenção foi reunir uma equipa, especialista nas temáticas da Gestão de Pessoas – que nasceu anteriormente de um debate com um tema distinto: a Igualdade de Género.

Visões do burnout
O burnout, também conhecido como exaustão física e psicológica, afecta o relacionamento com os colegas e a produtividade no trabalho. Pode ainda despoletar hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes e depressão. Mas afinal o que está na sua origem?

Para saber a resposta, leia a reportagem na íntegra na edição Julho/ Agosto da Human Resources Portugal.

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*