Reter o talento nas empresas

A conjuntura actual e a rápida evolução das organizações originam muitos desafios para as empresas. No âmbito dos Recursos Humanos, um desses desafios é a capacidade de retenção de talento.

Por Jeremy Santos, HR Functional Consultant da Meta4

 

Num ambiente cada vez mais competitivo para atrair os melhores talentos, as empresas desenvolvem verdadeiras estratégias de Marketing e Recursos Humanos. As organizações unem esforços para aumentar o compromisso dos colaboradores e, assim, reduzir ao máximo a saída das pessoas que representam um valor acrescentado para as mesmas.

Se recorrermos à pirâmide de Maslow para analisar este nível de compromisso dos colaboradores, identificamos quais são os aspectos que vão desencadear este sentimento e descobrimos que no nível mais básico se encontram as necessidades fisiológicas e de segurança. Neste primeiro nível, as políticas de remuneração e benefícios representam a ferramenta adequada para aumentar o nível de satisfação do colaborador e o seu sentimento de pertença.

O primeiro desafio para os responsáveis de recursos humanos é conseguir dar resposta a estas necessidades básicas, através das políticas citadas. A remuneração, por um lado, para assegurar um nível económico adequado e para cobrir as necessidades de segurança, e os benefícios, por outro, para garantir a segurança moral, familiar, sanitária, etc.

As políticas de remuneração e benefícios são uma arma eficaz, já que cumprem com as cinco condições de sucesso: garantir o salário emocional, premiar o desempenho, assegurar as necessidades básicas, melhorar o dia-a-dia do colaborador e preparar o futuro; pode ser a melhor forma de assegurar o seu compromisso.

Ainda assim, temos que ter em conta que as políticas de remuneração e benefícios não garantem 100% de satisfação e compromisso por parte do colaborador. Para atingir este fim, é necessário complementá-las com políticas de desenvolvimento profissional e de responsabilidade social da empresa.

5 medidas que as organizações deveriam implementar para garantir uma estratégia de retenção de talento:

1. Promover a compensação emocional
Actualmente as revisões salariais são regidas por novos mecanismos. É claro que a organização deve destinar uma parte importante do seu orçamento, na revisão salarial, aos elementos identificados como prioritários em termos de retenção. Por este motivo, o “salário emocional” converteu-se num elemento fundamental, com um forte impacto nos colaboradores, e que a empresa terá que valorizar na altura de definir as suas políticas de remuneração.

2. Premiar o desempenho
Relacionar um elevado nível de desempenho a uma medida de remuneração ou benefícios é outro aspecto chave para aumentar o compromisso do colaborador.

3. Garantir as necessidades básicas
As empresas têm que ser instituições nas quais os colaboradores se sintam envolvidos e com as suas necessidades básicas satisfeitas. A assistência médica para o colaborador e para a sua família ou os seguros de vida, são alguns factores essenciais ao definir políticas de compensação e sem os quais as empresas se arriscam a que o sentimento de compromisso dos seus colaboradores diminua.

4. Facilitar o dia-a-dia do colaborador
Uma política de remuneração orientada para facilitar o dia-a-dia dos colaboradores tem um grande impacto na avaliação que estes fazem da organização, resultando num aumento do seu nível de compromisso. Acordos com outras empresas ou instituições permitem-lhes obter uma série de vantagens que reforçam o seu vínculo com a empresa.

5. Antecipar o futuro
O estabelecimento de medidas que afectem o futuro do colaborador representa uma estratégia muito interessante e uma das medidas mais eficazes no momento de aumentar o seu sentimento de satisfação e compromisso.

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*