Os custos da depressão e ansiedade no trabalho

A Dianova e o Comité de ONG de Saúde Mental de Nova Iorque juntam-se à campanha mundial da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a saúde mental no local de trabalho, tema do Dia Internacional da Saúde Mental (10 de Outubro) de 2017. E alertam para alguns dados preocupantes.

 

Através desta campanha, a Rede Dianova pretender dar visibilidade ao tema da saúde mental no trabalho e reivindicar recursos adaptados às pessoas responsáveis pela formulação de políticas.

Até dia 13 de Outubro, a campanha vai convidar o público, através de imagens com incentivos à acção, a seguir uma série de recomendações em matéria de saúde mental, convidando à sua partilha através de canais, com gráficos e conteúdos na página da Internet: www.dianova.ngo 

 

O objectivo deste dia é consciencializar e mobilizar esforços de apoio a uma melhor saúde mental. Com o tema deste ano, a Organização Mundial de Saúde estima, nas conclusões de um estudo, que os transtornos de ansiedade e depressão custam à economia mundial cerca de um trilhão de dólares americanos por ano, em perdas de produtividade.

A nível mundial, é estimado que cerca de 300 milhões de indivíduos sofram de depressão, a principal causa de incapacidade. Mais de 260 milhões vivem com transtornos de ansiedade, e muitos têm os dois transtornos.

A importância do bem-estar dos colaboradores no emprego provém do tempo que os cidadãos passam no mesmo. Ao mesmo tempo, a depressão e a ansiedade são transtornos mentais comuns que influenciam a capacidade de trabalhar.

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*