Relacionamentos e propósito: o mais importante

Apesar de o crescente papel das máquinas no local de trabalho ser um destaque nos debates da XIV Conferência Human Resources, o foco vai continuar a ser nas pessoas. Na intervenção de abertura, Pedro Afonso, CEO da Axians Portugal destacou os relacionamentos e, a encerrar, António Casanova, CEO da Unilever Portugal sublinhou a importância do propósito.

 

Realizou-se ontem, dia 21 de Novembro, a 14.ª edição da XIV Conferência Human Resources. Tendo-se mudado o palco do evento por, na anterior edição a sala do Hotel do Pedro , em Lisboa, se ter revelado manifestamente pequena perante a massiva adesão, a lotação voltou a esgotar, desta vez no Museu do Oriente, tendo reunido mais de 450 profissionais.

Dois dos momentos altos da conferência foram as intervenções de abertura e de encerramento.

O keynote speaker Pedro Afonso, CEO da Axians Portugal, abriu a sua palestra, que tinha como título a pergunta provocatória «Does your heart beat…or bit?», com uma interacção com o público. Através dos seus smartphones responderam à pergunta sobre o que era mais importante, os relacionamentos ou os resultados, sendo que a resposta diferiu quando a pergunta se situava no que era mais importante para a empresa onde trabalham – 66% afirmou que são os resultados que contam mais -, mas quando mudou para «E para sim o que é mais importante?», as respostas mudaram radicalmente para 74% a garantir que são os relacionamentos que mais valorizam.

E este foi o ponto de partida para uma apresentação que juntou visuais interactivos, música ao vivo, histórias pessoais e estudos sobre a matéria, com o objectivo de salientar a importância da qualidade dos relacionamentos nas organizações.

Pedro Afonso destacou ainda  «o valor da confiança», salientando que, quando o foco é no uso de tecnologias, o um sector que está muito bem posicionado na opinião pública. «As pessoas acreditam no que as tecnologias e as empresas que nelas trabalham têm para lhes dizer», defendeu. Assim, apelou a que as empresas do sector se desafiem, e desafiem os seus CEOs a perguntaram-se se o seu negócio tem confiança. «Precisamos de tecnologia que ligue as pessoas. Nós, para liderarmos, temos de gostar de pessoas», concluiu.

 

A importância do propósito

Enquanto Pedro Afonso se focou na importância dos relacionamentos, António Casanova, CEO da Unilever Portugal e presidente da Unilever Espanha, realçou, na sua apresentação “Connect for Growth”, o papel cada vez mais importante do propósito. Os colaboradores de hoje procuram saber se o seu trabalho tem um impacto positivo, «bom para a sociedade e aceite por ela». «As marcas com propósitos crescem duas vezes mais que marcas sem propósito», sublinhou.

O responsável fez ainda notar que a forma de trabalhar  também vai ter de mudar de lógica. E isto inclui a forma como os próprios colaboradores trabalham e a necessidade de as organizações serem cada vez mais globais.

Também a relação com os colaboradores se vai alterar, pois, numa realidade cada vez mais digital, vai exigir-se cada vez maior flexibilidade. Para o CEO da Unilever Portugal, os gestores de pessoas vão ter de criar ambientes onde seja possível para os trabalhadores colaboradorarem a partir «de onde quiserem, às horas que quiserem, aos fins de semana se quiserem», sem contudo esperar respostas imediatas, se estiverem a trabalhar “fora de horas” ou aos fins-de-semana.

A noção de colaboração vai ter «contornos muito diferentes» e a ideia da experimentação vai ganhar força, pois a necessidade de trabalhar a um ritmo mais acelerado vai tornar a tolerância ao erro algo mais necessário».

 

A XIV Conferência Human Resources contou com o patrocínio da Axians, Continente, CTT, EDP, Fidelidade, Microsoft, Montepio, PLMJ, Randstad, Ticket Serviços, Unilever Jerónimo Martins, Volkswagen Financial Services. Muitas destas marcas estiveram a fazer activações, outra das novidades desta edição.

Contou ainda com a parceria da Capital MC, da Fundação Oriente, das Hospedeira de Portugal e da Pacsis, que esteve permitiu aos participantes descobrir qual o seu tipo de personalidade, através da ferramenta eneagrama.

 

A Conferência vai ser publicada na íntegra na edição de Janeiro da Human Resources.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*