REN distingue projectos de inserção laboral de pessoas com deficiência

O projecto “Eu – Consigo!”, desenvolvido pela Associação Salvador, foi o vencedor da quarta edição do Prémio AGIR, da REN, este ano dedicado à inserção laboral de pessoas com deficiência. Durante a cerimónia de entrega de prémios,  no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, foram também distinguidos os projectos Duoday e Asul.

 

Para esta quarta edição, o Prémio AGIR recebeu 46 candidaturas de várias regiões do país, sendo que os vencedores pertencem aos distritos do Porto, Évora e Coimbra, respectivamente.

O “Eu – Consigo!” foi desenvolvido pela Associação Salvador que será lançado no Porto no decorrer de 2018. Tem por objectivo integrar cerca de 20 pessoas no mercado de trabalho e formar outras 50. Desde 2015 que a Associação Salvador tem trabalhado na área da integração profissional de pessoas com deficiência através da empregabilidade. O primeiro lugar no Prémio AGIR irá permitir alargar este trabalho à cidade do Porto.

De acordo com Salvador Mendes de Almeida, presidente da Associação Salvador «ganhar o 1.º lugar do Prémio Agir da REN representa para a Associação Salvador uma oportunidade única de levar o seu trabalho e intervenção para uma área geográfica diferente e alargar horizontes, levando um projecto inovador que poderá ajudar mais pessoas com deficiência a serem integradas no mercado de trabalho. Juntos mudamos vidas!»

O Prémio AGIR atribuiu o segundo lugar ao Duoday, promovido pela Marca – Associação de Desenvolvimento Local e que consiste na promoção entre pares de trabalhadores/profissionais e pessoas com deficiência ou incapacidade de maneira a poderem partilhar uma experiência de trabalho em contexto real. O projecto irá abranger os concelhos de Montemor-o-Novo, Évora e Viana do Alentejo e irá contar com 50 participantes, 20 dos quais empregáveis no decurso do mesmo.

Para Rosa Coelho, coordenadora do projecto Duoday, «O prémio agir da REN para além de ser um reconhecimento do trabalho desenvolvido pela instituição e parceiros permite dar continuidade e viabilizar uma proposta que acreditamos com melhores condições e recursos.»

Já o terceiro prémio foi entregue ao projecto Asul. É promovido pela Associação de Famílias Solidárias com a Deficiência e decorre em Castelo Viegas e Assafarge, freguesias do concelho de Coimbra. Consiste em integrar profissionalmente sete pessoas com deficiência mental com alguma autonomia que terão acesso a formação em actividades socialmente úteis, mas também a compensações monetárias pelo seu trabalho, de forma a contribuir para a sua autonomia financeira.

Luís Silva, responsável da Associação de Famílias Solidárias com a Deficiência – Cavalo Azul, realça que «o prémio AGIR significa a primeira distinção que a AFSD recebe deste género, após dois anos de abrir portas. Permitirá potencializar as competências dos utentes mais autónomos e promoverá um ambiente interno de trabalho na instituição através das actividades socialmente úteis (limpeza de automóveis, limpeza de espaços e lavandaria, bar e cafetaria) e garantirá a respectiva compensação monetária. Acreditamos no potencial dos nossos utentes no sentido de lhes proporcionar cada vez mais uma vida independente e autónoma», acredita.

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*