Intenções de contratação optimistas para 2018

No estudo feito pela ManpowerGroup, os empregadores portugueses revelam intenções de contratação optimistas para o primeiro trimestre de 2018. Apesar de 79% considerar que não haverá alterações nos níveis de contratação, 16% prevê um aumento. 

 

O ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o primeiro trimestre de 2018 foi realizado com base num inquérito a uma amostra representativa de 627 empregadores em Portugal. A todos estes empregadores foi colocada a mesma pergunta: “Quais as alterações que prevê para o emprego na sua região, nos três meses que terminam em Março de 2018, em comparação com o trimestre actual?”. Só 3% antecipa uma redução, situando-se a  projecção para a criação líquida de emprego nos 13%.

Durante o primeiro trimestre de 2018 perspectiva-se que a contratação aumente nos nove sectores de actividade considerados no inquérito. O sector com maior projecção para a criação líquida de emprego é o de Transportes, Logística e Comunicações, com uma previsão de 30%. O de Agricultura, Florestas e Pescas prevê um bom ritmo de contratação, com uma projecção de 21% e o de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços prevê um ritmo mais lento mas ainda assim significativo, com uma projecção de 14%.

Os sectores Público e de Construção apontam 12% na criação líquida de emprego, e pelo sector de Indústria, 11%. Por oposição, o sector com a projecção mais cautelosa é o de Fornecimento de Electricidade, Gás e Água com uma previsão de apenas 4%.

Os empregadores dos nove sectores apontam a uma melhoria nos níveis de contratação face ao trimestre anterior, com melhorias muito relevantes, de 26 e 21 pontos percentuais, nos sectores de Transportes, Logística e Comunicações e de Agricultura, Florestas e Pescas respectivamente. Prevêem-se melhorias bastante consideráveis nos sectores de Restauração e Hotelaria, de Construção e no sector Público, com aumentos de 13, dez e oito pontos percentuais respectivamente. A previsão para o sector de Comércio Grossista e Retalhista mantém-se estável sem alterações significativas face ao trimestre anterior.

Os empregadores nas três regiões (Norte, Centro e Sul) antecipam um aumento da contratação durante os próximos três meses. As melhores perspectivas são as dos empregadores a Sul, que projectam uma criação líquida de emprego de 18%. Tanto no Centro como no Norte são antecipados aumentos optimistas, de 13% e 12%, respectivamente.

As intenções de contratação são reforçadas nas três regiões, comparativamente com o trimestre anterior. A maior evolução acontece no Sul, com uma subida de 17 pontos percentuais. A projecção para a região Centro melhora significativamente, em nove pontos percentuais, enquanto os empregadores da região Norte perspectivam um aumento de sete pontos percentuais.

Perspectiva-se que o volume de contratação aumente nas quatro dimensões referidas durante o primeiro trimestre de 2018. A projecção para a criação líquida de emprego aponta para um crescimento maior, de 21%, nas Grandes empresas. As Médias e Pequenas empresas indicam uma projecção de contratação de 15% cada, enquanto a projecção de criação de emprego para as micro-empresas é de 6%.

Empregadores de 41 países antecipam intenções de contratação positivas

As conclusões apontam para que, em 41 dos 43 países participantes, a contratação prossiga em terreno positivo neste primeiro trimestre de 2018. Pelo segundo trimestre consecutivo desde a crise financeira global de 2009, não existem projecções negativas para nenhum dos 43 países, sendo que os empregadores de um conjunto de países do qual fazem parte Austrália, Estados Unidos da América, Japão, Noruega, Polónia e Roménia reportam as projecções mais favoráveis de há pelo menos cinco anos.

Existem também indicadores de que a volatilidade registada nalguns países – com destaque para Brasil, China e Índia – está a decrescer. Comparativamente ao último trimestre de 2017, as intenções de contratação melhoram em 20 dos 43 países, mantêm-se inalterados em oito e decrescem em 15. Quando comparadas com o período homólogo do ano anterior, as intenções de contratação melhoram em 26 dos 43 países, mantêm-se inalteradas em seis e decrescem apenas em 11.

Na região EMEA, a projecção dos empregadores para a criação líquida de emprego mantém-se em crescendo em 23 dos 25 países inquiridos. A previsão de contratação aumenta, comparativamente com o trimestre anterior, em dez países, decresce noutros dez e mantém-se inalterada em cinco. Relativamente ao mesmo trimestre do ano anterior, as previsões melhoram em 14 países, decrescem em oito e mantêm-se inalteradas em três.

As previsões mais favoráveis, nesta região, pertencem a Eslovénia e Roménia e as menos relevantes a Áustria e Itália, onde os empregadores não prevêem alterações nas intenções de contratação. Os dados de cada um dos 43 países incluídos no inquérito relativo ao primeiro trimestre de 2018, bem como as comparações regionais e globais, podem ser consultados na íntegra aqui.

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*