Como o trabalho flexível pode ser vantajoso para as empresas

O local de trabalho tradicional está a mudar e as empresas precisam de modernizar-se  para atraírem, e manterem, talento.  O horário flexível é uma opção cada vez mais desejada e pode levar a um aumento de produtividade. 

 

O trabalho flexível traduz-se uma cultura de trabalho onde os membros da equipa podem ficar ligados uns aos outros, sem ter em atenção onde, quando ou como estão a trabalhar. O local de trabalho tradicional está a mudar, e hoje as empresas precisam de modernizar e envolver-se se querem reter o melhor talento entre os trabalhadores de hoje.

Na Dell Technologies houve este reconhecimento e a procura do que é preciso para ligar a força laboral entre si. A visão desta empresa para o futuro é fundada em permitir que os seus membros de equipa sejam os melhores no seu trabalho, através de uma abordagem flexível às tarefas que têm de cumprir.

Os resultados das pesquisas recentes demonstram que mais de 60% dos colaboradores da Dell trabalham antes ou depois das horas comuns de trabalho. Além disso, dois terços dos trabalhadores conduzem, globalmente, pelo menos, algumas tarefas a partir de casa, regularmente, e que o colaborador geral passa pelo menos duas horas por semana a trabalhar em locais públicos.

Os dados demonstram que mais de 80% dos colaboradores millennials dizem que as tecnologias dos locais de trabalho vão influenciar os empregos que escolherem. Isto está em alinhamento com a pesquisa publicada pelo GlobalWorkplaceAnalytics.com, que mostra que mais de 80% dos trabalhadores norte-americanos dizem que gostavam de fazer teletrabalho, pelo menos, em part-time.

A pesquisa também demonstra que muitas das empresas Fortune 1000 em todo o mundo estão a reformular os espaços com base no facto de os seus colaboradores já serem mais móveis, ou seja, mais capazes de trabalhar em qualquer lugar, que não estão à secretária em mais de metade do tempo.

Enquanto as empresas de topo evoluem para conhecer os requerimentos culturais da força laboral de hoje, que vantagem ganham os líderes?

1 – Estabelecem uma ligação com os membros da equipa

Enquanto que algumas companhias resistem a estas tendências, muitas percebem que o trabalho flexível vai ser o novo normal. A Dell Technologies lançou, em 2009, um programa que permite a membros das equipas, escolhidos especificamente, trabalharem remotamente, a horas variáveis e com outras capacidades flexíveis que completam o seu trabalho e as necessidades de estilo de vida pessoal.

Os membros escolhidos dizem que a flexibilidade os ajuda a ser mais bem-sucedidos. Escrito de forma simples, não é uma política de Recursos Humanos – é um imperativo da empresa. Porque os trabalhadores estão  mais felizes e mais produtivos. Providenciar opções de estilos de trabalho flexíveis leva a membros de equipa mais satisfeitos e empenhados.

De acordo com os dados da empresa, a flexibilidade é um dos três principais atributos culturais que as equipas mais valorizam, sendo os outros dois a ética e inclusão. Ficou confirmado que dar aos membros de equipa a independência para trabalhar remotamente pode levar a ganhos na produtividade. 86% dos participantes no programa da Dell acreditam que estão tão ou mais produtivos a trabalhar remotamente do que os que trabalham em horário full-time nas instalações da empresa.

Ao mesmo tempo, 93% dos membros da equipa sentem que trabalhar remotamente fá-los um melhor membro da equipa e a empresa um melhor empregador.

2 – Reduzem as barreiras para atrair o talento de topo

De acordo com um estudo interno realizado entre a Dell e a Intel, o balanço entre a vida pessoal e o trabalho é a prioridade principal na carreira das três gerações principais que vemos hoje nas empresas – Baby Boomers, Geração X e Millennials. Oferecer acordos que permitam o trabalho flexível pode ajudar a remover barreiras geográficas, garantindo que são os melhores candidatos que ficam com as vagas, independentemente da localização da empresa ou do candidato.

3 – Poupam recursos e ajudam o planeta

As práticas de trabalho remoto ajudam os negócios a poupar em recursos naturais e energia. Com menos pessoas no escritório e na estrada, há uma diminuição da poluição relacionada com o sector dos transportes e uma maximização do uso do espaço.

Um estudo interno da Dell em 2015 revelou que um local de trabalho ligado nos Estados Unidos, por si, reduziu uma estimativa de 25 milhões de kWh de energia. Dados da Gallup sugerem também que a força laboral dos E.U.A evita 2,7 mil milhões de viagens devido à telecomunicação – uma redução de 30 milhões métricos de toneladas de CO2 por ano.

 

Responder a um local de trabalho em mudança

Um condutor principal para a mudança cultural é a inovação tecnológica que é capaz de proporcionar a produtividade sem trocas equivalentes. Mas dar a tecnologia não é suficiente. Os esforços dos Recursos Humanos e a equipa de Tecnologias da Informação de uma empresa também precisam de se alinhar com as facilidades da equipa de Gestão.

Esta abordagem holística para transformar o seu ambiente de trabalho precisa de incluir:

A permissão de um esforço colaborativo e móvel na cultura laboral. No centro de cada programa de trabalho flexível está a tecnologia. Isto quer dizer, dar aos membros da equipa ferramentas de colaboração que dá comunicação única e intuitiva, sem contar a localização. Tal dá ó poder à equipa de fazer o seu melhor trabalho, darem o seu melhor ao serviço dos clientes, de uma forma que seja melhor para os mesmos.

Recursos do suporte no local de trabalho do futuro. Os membros da equipa precisam de ser capazes de trabalhar à velocidade do negócio, com a liberdade para trabalhar facilmente em qualquer lado, a qualquer hora, suportados pela tecnologia aumentada e um novo modelo que instiga a produtividade.

Líderes que apoiam e são flexíveis com os estilos de trabalho. É importante que a liderança esteja comprometida a modelos de trabalho flexíveis. Isto inclui dar aos gerentes a habilidade de discutir e estabelecer planos de trabalho flexíveis que funcionem com as necessidades das suas equipas e negócios. É importante relembrar que a definição do trabalho flexível pode variar – é preciso encontrar o balanço que mantenha os colaboradores produtivos e empenhados, o negócio a crescer e a prosperar e, acima de tudo, os clientes satisfeitos e felizes.

O trabalho flexível é a nova norma, e não vai a lado nenhum. Ao providenciar as nossas equipas com opções que encorajem a colaboração, optimizam a produtividade e permitem que sigam o seu estilo adequado, a organização vai ter um impulso de produtividade e uma vantagem competitiva e posicionar-se em se tornar um empregador de escolha para os melhores talentos.

Fonte: Steve Brice, Conselho de Recursos Humanos da Forbes

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*