Apostar em TI abre segunda fase de candidaturas

Já está aberta a segunda fase das candidaturas ao programa Apostar em TI da iTGROW e do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC). Os interessados podem candidatar-se até ao dia 13 de Fevereiro.

 

Nesta segunda fase, o programa está à procura de mais 5O candidatos que se irão juntar aos 150 já identificados na primeira fase. Os interessados poderão apresentar as suas candidaturas aqui.

A decorrer entre Fevereiro de 2018 e Maio de 2019, o Apostar em TI destina-se a desempregados que tenham frequentado um curso superior, que possuam apetências para as áreas da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM) e que estejam motivados para a reconversão das suas competências para o segmento da programação de sistemas embebidos, uma área com elevados índices de empregabilidade a nível mundial.

Catarina Fonseca, directora geral da iTGROW, revela que «a primeira fase das candidaturas foi um sucesso e tivemos 150 inscrições, ultrapassando largamente o objectivo que nos tínhamos proposto (100 candidatos). Nesta segunda fase queremos dar oportunidade às pessoas que por exemplo estão fora do país e não tinham timings compatíveis com os da primeira fase e estamos à procura de mais 50 candidatos até ao dia 13 de Fevereiro. Dos 200 candidatos iremos seleccionar 20 a 25 formandos que irão integrar o programa. Terminada a fase lectiva, que irá decorrer de Fevereiro a Julho de 2018, os formandos terão acesso a um estágio profissional remunerado nas empresas parceiras deste projecto».

O processo de selecção dos candidatos, promovido pela iTGROW, inclui a realização de provas individuais e em grupo e de entrevistas, com o objectivo de seleccionar aqueles que demonstrarem elevada capacidade para cumprir, com sucesso, as exigências do Apostar em TI.

O Apostar em TI já conta com um relevante conjunto de empresas aderentes que irão garantir o estágio profissional remunerado de 9 meses aos formandos que completarem a fase lectiva com sucesso, nomeadamente a Critical Software (que irá receber 50% dos formandos), Open Limits, Active Space Technologies, Controlar; MECALBI, UbiWhere e Virtual Power Solutions.

O estágio, com contexto propício ao desenvolvimento das competências envolvidas (âmbito técnico, formação e acompanhamento adequados) e que irá decorrer entre Setembro de 2018 e maio de 2019, será acompanhado pelos docentes do programa, afectos aos departamentos de engenharia electrotécnica e informática do ISEC. O valor mínimo da remuneração mensal está fixado em 750 euros brutos.

A formação terá um custo de 1950 euros a serem suportados pelos formandos, através do pagamento de uma propina, dividida em cinco tranches, metade a ser paga no início da formação e o restante valor a ser liquidado em prestações até ao final da formação que irá durar 20 semanas. Este investimento é recuperado durante o estágio.

Os formandos têm à sua disposição soluções de crédito, disponibilizadas pelas instituições financeiras ligadas ao Programa, que lhes permitirão fazer face às despesas com propinas, aquisição de computadores, ou/e à subsistência mensal durante o período lectivo e poderão aceder às mesmas através do website.

Veja também estas notícias

 

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*