60% das empresas com benefícios para colaboradores

Não obstante as previsões económicas negativas em muitos países europeus, as empresas estão a optar por manter os planos existentes de opção de benefícios para colaboradores ou até mesmo por criarem novos. A conclusão é do estudo da consultora Mercer, realizado em 12 países europeus.

Mais de 60% dos inquiridos oferecem alguma forma de opção quanto aos benefícios dos seus colaboradores, e cerca de dois terços dos restantes estão a ponderar fazê-lo. Os inquiridos afirmam que oferecem opções sobretudo para se manterem competitivos no mercado (referido por 58% dos inquiridos), melhorarem a participação dos colaboradores (54%), e reterem talento-chave (54%).

Uma parte das empresas (39%) considera que os principais desafios de conceber e gerir um programa de opções para os colaboradores são a “complexidade de administração” e os “custos” associados. Porém, o número de empresas preocupadas com este tipo de desafios é mais baixo que em 2009, quando o mesmo estudo da Mercer revelou que 58% estavam apreensivos com a administração e 53% com o custo.

“Anteriormente, as empresas estavam preocupadas com a introdução de benefícios flexíveis e programas de opção para os colaboradores devido às dificuldades administrativas, experiência de utilização e os custos elevados. No entanto, desenvolvimentos tecnológicos recentes eliminaram algumas destas preocupações – à medida que os portais de Internet e as plataformas integradas se generalizaram”, afirma Kim Honess, responsável de Benefícios Flexíveis da Mercer do Reino Unido.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*