As pessoas primeiro

“Put people first” é o lema do Pine Cliffs Resort, que se baseia na crença de que, se cuidarem bem dos colaboradores, eles cuidarão bem dos hóspedes, que assim irão voltar e incrementar o negócio.

 

Por Ana Leonor Martins | Fotos Ieva Gedvygaite

 

Quando Veridiana Fernande assumiu o desafio de liderar os recursos humanos do Pine Cliffs Resort, um dos principais desafios foi a reestruturação da equipa de Recursos Humanos, de forma a fazer face às necessidades de negócio, trabalhando da melhor forma a fusão com o Marriott. A atracção de talento e a revisão do programa de desenvolvimento e sucessão foram outras prioridades. Tendo desenvolvido, até à data, toda a sua carreira em hotelaria, no Brasil, partilha que, enquanto no Brasil o foco está muito voltado para processos e procedimentos, em Portugal o relacionamento humano assume preponderância. E defende que, independentemente da origem, todas as pessoas  êm as mesmas necessidades básicas no trabalho: orientação, clareza, segurança para poder cometer erros, possibilidade de desenvolvimento e consideração.

 

É luso-brasileira e a sua carreira, até à data, desenvolveu-se toda no Brasil. O que a fez aceitar o desafio de vir para Portugal?

Sempre tive o desejo de ter uma carreira internacional. Durante o tempo que estive no Brasil pude ter algumas experiências através de task forces de longa duração mas, quando decidi voltar para a hotelaria, esse foi o meu primeiro requisito.

 

Assumiu as novas funções em Fevereiro do ano passado. Que balanço faz da experiência?

Foi um ano muito intenso e produtivo, através do qual fiquei a perceber melhor a questão da sazonalidade, muito marcada no Algarve, que é a principal diferença face às minhas experiências anteriores. Foi um ano durante o qual aprendi a trabalhar numa cultura muito similar à brasileira no que diz respeito ao relacionamento interpessoal mas muito diferente na forma do trabalho. No Brasil, o foco está muito voltado para processos e procedimentos, e em Portugal não identifico que assim o seja, pelo menos com a mesma intensidade, estando a dinâmica mais voltada para o relacionamento humano.

 

Outra grande diferença tem a ver com a escala… No Brasil, chegou a coordenar sete propriedades diferentes, abrangendo 1500 colaboradores. Isso traz diferenças ao nível da Gestão de Pessoas? Quais as principais diferenças e, também, as principais semelhanças?

Em média, o staff fixo do Pine Cliffs Resort ronda as 300 pessoas, mas no Verão pode chegar às mil. Trabalhar com pessoas de diferentes nacionalidades e em diferentes países ao longo de tantos anos, ensinou-me que todos, independentemente da sua origem, têm as mesmas necessidades básicas no trabalho – orientação, clareza, segurança para poder cometer erros, possibilidade de desenvolvimento e consideração.

Isso faz com que as práticas sejam semelhantes, mas é fundamental que seja dado um seguimento às acções para que se chegue à consistência e que todos os envolvidos tenham uma igual compreensão sobre os temas. Ou seja, as práticas podem mudar nos detalhes mas ao final do dia, se houver processos e procedimentos, há clareza, evolução e satisfação, que, por sua vez, gera compromisso.

 

O que definiu como acções prioritárias quando integrou o Pine Cliffs?

Em primeiro lugar, era importante haver uma reestruturação da equipa de Recursos Humanos, de forma a fazer face às necessidades de negócio, trabalhando da melhor forma a fusão com o Marriott. A partir daí, foi possível trabalhar o awareness do Pine Cliffs – A Luxury Collection Resort em todo o mercado B2B à escala europeia, salientando que passámos a fazer parte do grupo Marriott, tentando assim atrair mais talentos para o nosso complex resort. Trabalhámos também a integração com o Marriott, em especial os valores da marca, para que todos os colaboradores nos percepcionassem como uma das melhores empresas para se trabalhar no mundo. Rever todo o programa de desenvolvimento e sucessão do resort para assegurar que temos as pessoas em pleno desenvolvimento das suas competências, prontas para proporcionar a experiência que os clientes do Pine Cliffs Resort esperam receber foi outra prioridade.

 

Passado cerca de um ano, como é que os desafios evoluíram?

A equipa de Recursos Humanos está na fase final de reestruturação, com novas pessoas, novos processos e nova forma de trabalhar, em linha com as prioridades estratégicas do resort como, o recrutamento e o desenvolvimento. O processo de integração com o Marriott ainda está em curso de forma evolutiva, mas muito foi já implementado.

O Pine Cliffs Resort é, para muitos alunos dispersos por toda a Europa, uma opção real para a concretização de estágios ou início da sua vida profissional. Ainda existe um longo caminho a percorrer, mas hoje em dia já somos reconhecidos e identificados como um resort desafiante, atractivo e único no Algarve.

 

Leia a entrevista na íntegra na edição de Março da Human Resources Portugal.

Veja também estas entrevistas.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*