Como pode a nutrição ajudar a melhorar a performance no trabalho?

A alimentação é um elemento que resulta como um catalisador de relações interpessoais entre colaboradores e a nutrição como um factor crucial na melhoria da produtividade, da criatividade e do bem-estar.

Por Célia Craveiro, presidente da APN – Associação Portuguesa de Nutrição

 

Actualmente, o mundo corporativo é extremamente exigente, a nível mental e físico. Os colaboradores trabalham mais horas, sob maior pressão, tendo menos tempo para dedicarem ao descanso e à recuperação. Contudo, a capacidade produtiva é, por vezes, inadequada, fruto do desequilíbrio de factores fundamentais para asseverarem a produtividade dos colaboradores, como por exemplo, a qualidade do sono, a prática de exercício físico e os bons hábitos alimentares.

Como tal, quais são as vantagens que a nutrição pode oferecer no sector empresarial, ao nível dos colaboradores e empregadores? Poderá ser um benefício a implementação de programas de saúde, na área alimentar e nutricional? De facto, a nutrição apresenta um papel relevante na melhoria da produtividade dos trabalhadores e na redução do absentismo dos mesmos, através da integração de amplas intervenções de saúde e de educação alimentar no local de trabalho. Pequenas mudanças na dieta, o estabelecimento de um horário estruturado para a prática das refeições diárias e o estímulo de actividade física podem ser elementos fulcrais para melhorar o estilo de vida e optimizar a capacidade cognitiva, em prol da performance laboral.

Na verdade, os dados mostram-nos que há um melhor desempenho e uma menor taxa de absentismo nos colaboradores que têm uma alimentação mais cuidada e que praticam actividade física regularmente, sendo estes indicadores inferiores nos indivíduos obesos e doentes crónicos não fisicamente activos. Assim, compreende-se a importância que os programas de saúde podem representar na gestão de saúde dos colaboradores, sendo ferramentas inequívocas na melhoria do bem-estar físico e cognitivo dos colaboradores.

Efectivamente, perante uma sociedade cada vez mais consciente quanto à importância de um estilo de vida saudável e amigo do ambiente, é crucial a presença de programas de educação alimentar e saúde nas empresas para melhorar os indicadores de performance e contribuir para a atrair e reter o talento, devido à atenção atribuída à melhoria da sua qualidade de vida.

Por outro lado, a alimentação tem um factor social incrível, facilitando a conexão entre as pessoas e o estímulo das relações entre colegas. É, portanto, um elemento que permite criar laços de união entre os diferentes colaboradores, inclusivamente, os que pertencem a uma equipa diferente.

Note-se que a alimentação também poderá facilitar a dinamização de acções de team building (pro exemplo, workshops de culinária, concurso de melhor prato ou uma simples partilha dos alimentos tradicionais de cada região entre colegas). Acrescente-se ainda que, a implementação de hábitos alimentares mais saudáveis entre todos os colaborares opera como uma forma de estreitar laços, visto que há a percepção de que estão todos a caminhar no mesmo sentido.

Destaque-se ainda o exemplo da Google na criação de um ambiente de trabalho como cursos de culinária ou espaços para refeições), visto que compreenderam que a alimentação é um elemento que resulta como um catalisador de relações interpessoais entre colaboradores e a nutrição como um factor crucial na melhoria da produtividade, da criatividade e do bem-estar dos colaboradores a curto e a longo prazo. Outro exemplo é a Microsoft,que também reconhece a importância de um nutricionista na promoção da melhoria da produtividade e inspiração dos seus colaboradores, disponibilizando programas de educação alimentar na organização.

Deste modo, o consumo de alimentos saudáveis (pão de centeio, iogurte natural, frutos oleaginosos, peixe gordo, hortícolas, fruta da época, são alguns exemplos), a par de um programa de educação alimentar focado na melhoria da saúde e da performance cognitiva com o apoio personalizado de um nutricionista, contribui para a manutenção de níveis de energia durante o período de trabalho, ajudando a manter a concentração e o estado de humor, assim como promovendo o espírito criativo dos colaboradores.

Com efeito, um ambiente corporativo mais salutar é, claramente, um ambiente potenciador das relações humanas e da funcionalidade cognitiva a níveis superiores, traduzindo-se em ganhos em saúde para os colaboradores e económicos para as organizações e os sistemas de saúde.

 

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

MULTIPUBLICAÇÕES

Marketeer
Arranca a segunda edição do From Start-to-Table
Automonitor
Audi assinala os 25 anos de desportivos RS