Como vão os robôs influenciar o mercado de trabalho?

Apesar de não prejudicar ou implicar, directamente, uma redução dos postos de trabalho, o surgimento dos robôs nas empresas leva a uma redistribuição das tarefas. 

 

Num artigo publicado em parceria com o Instituto Cuatrecasas, a Adecco analisou o papel das tecnologias na estrutura corporativa e organizativa do trabalho. As consequências que o recurso a robôs tem na taxa de emprego, na gestão de pessoas e na regulamentação é um dos temas em destaque.

«A destruição de postos de trabalho não será uma realidade se as empresas anteciparem este cenário com estratégia de formação e de requalificação», salienta-se. O estudo também aconselha que as organizações devem apostar na formação e garantir que os colaboradores adquirem ou reforçam competências em áreas estratégicas.

Vanda Santos, directora de Serviço e Desenvolvimento da Adecco Portugal, faz notar que «a utilização de robôs é cada vez mais recorrente no mercado empresarial. Estes não devem porém substituir pessoas ou reduzir postos de trabalho, mas sim ajudar a melhorar a produtividade e a criar novos postos de trabalho mais qualificados.»

O artigo sublinha também que na integração da robótica, o desafio não será apenas dos Recursos Humanos, mas também no campo legislativo, pois este tem de acompanhar as tendências e criar enquadramentos legais.

Veja também estas notícias

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*