Conheça a nova estratégia sustentável da Delta Cafés

O Grupo Nabeiro-Delta Cafés, partilhou ontem, na Estufa Fria, em Lisboa, a sua nova estratégia  global para a sustentabilidade, com compromissos assumidos para alcançar até 2025, nas vertentes económica, social e ambiental. Em concreto, foram dados a conhecer três projectos.

 

O evento contou com a presença do primeiro-ministro António Costa, do ministro de Economia, Pedro Siza Vieira, do presidente da Câmara de Campo Maior, Ricardo Pinheiro, para além de todos os representantes do Grupo Nabeiro-Delta Cafés, nomeadamente o Comendador Rui Nabeiro, tendo a apresentação das novidades ficado a cargo de Rui Miguel Nabeiro, presidente do Conselho de Administração do Grupo.

O apoio às comunidades e aos produtores de café – um dos pilares da Delta – levou à celebração de um protocolo com a Associação de Produtores Açorianos de Café (APAC). Esta parceria prevê o apoio a 500 produtores de café da região autónoma, durante os próximos 15 anos, em todas as etapas da produção, preparação e comercialização do café dos Açores, o único da Europa.

Esta aposta surge depois de duas missões conjuntas no terreno, realizadas no decorrer de 2018 e em Abril de 2019, em que a Delta concluiu que «dadas as características únicas do território do arquipélago dos Açores, é viável o cultivo com sucesso de café de especialidade, trazendo assim valor económico para as comunidades locais e ajudando na diversificação das culturas, que ainda se mantêm muito dependentes da exploração de bovinos (carne e leite)».

Será o primeiro café 100% português e o primeiro produzido na Europa.

Chamado a palco por Rui Miguel Nabeiro após apresentar o projecto à palteia, José Bernardo, presidente da APAC, sublinha que esta parceria é muito importante pois sem ela não chegariam dar escala à produção de café nos Açores, que virá complementar a produção de leite e assegurar um rendimento extra para os agricultores.

 

Primeira cápsula de café sem plástico

Mas o primeiro compromisso apresentado por Rui Miguel Nabeiro passar a ter cápsulas 100% orgânicas e biodegradáveis, com 0% de plástico, 0% de micro-plástico e 0% de alumínio, concebidas à base de milho, cana de açúcar e mandioca. Neste sentido, foi dada a conhecer a nova cápsula de café Delta Q. Como é biodegradável tem um prazo de validade de 90 dias.

A total ausência de plásticos é a imagem de marca do primeiro blend da Delta Q e Qo, 100% orgânica e biogradável, que começará a ser vendida a partir de Julho.

 

O que tem as borras de café e os cogumelos em comum?

Ainda focada nos princípios da economia circular, foi anunciada uma parceria com a startup NÃM, para reutilizar as borras de café, consideradas extratos limpos e ricos em nutrientes, e transformá-las em alimento – cogumelos.

O conceito “from waste to taste”, criado em 2018 por Natan Jacquemin, fundador da tecnológica, tem um método de aproveitamento simples. Inicia-se na extracção de “uma bica”, quando a água quente passa pelo café, limpando dessa forma a borra.

 

Compromissos até 2025

Rui Miguel Nabeiro partilhou ainda novas metas em diversas áreas do desenvolvimento sustentável, nomeadamente que, até 2025, toda a sua frota automóvel comercial seja composta por viaturas eléctricas.

Após o lançamento de Delta Q eQo no mercado, continuará também a haver um «investimento na pesquisa e desenvolvimento de melhores soluções técnicas e na procura dos mais inovadores materiais, para que daqui a seis anos, toda a gama de blends Delta Q possa ser sustentável».

 

Se não teve oportunidade de ver em directo na página de facebook da Human Resources, assista agora a parte das intervenções que ocorreram na manhã de ontem.

Rui Miguel Nabeiro, presidente do Conselho de Administração do Grupo Nabeiro-Delta Cafés

Comendador Rui Nabeiro

Pedro Siza Vieira, ministro adjunto e da Economia

António Costa, primeiro-ministro

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...