Criação de empresas cresceu 10% em 2018

De acordo com o Barómetro da Informa D&B, foram constituídas em Portugal 41 649 novas empresas e outras organizações até final de Novembro, mais 3 779 do que no mesmo período do ano passado, o que representa um crescimento de 10%. 

 

Este crescimento deve-se, em grande parte, a empresas ligadas ao sector do Turismo, onde houve um aumento de novas empresas face ao ano anterior de 16,3%,

Como destaca a Informa D&B, também entre as empresas de Serviços (aquele que tem mais entidades no tecido empresarial), destacam-se as que têm grande ligação ao Turismo, como as actividades de animação turística e agências de viagens, bem como os Serviços Profissionais e Saúde”.

Outros sectores com forte ligação ao turismo mostram um dinamismo significativo, como as actividades imobiliárias (mais 794 nascimentos, o que representa mais 21,6%) e a Construção (mais 633 nascimentos, ou seja, mais 9,5%). As novas empresas no sector dos Transportes (mais 720, ou seja, 63,9%) mais que duplicaram desde o início do ano, em particular as actividades de transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros, refere-se no relatório.

Entre Janeiro e o final de Novembro deste ano, o distrito de Lisboa é o que regista maior número constituições (14608), um crescimento de 14,2% e que é responsável por metade do crescimento de novas empresas.

Já no que respeita aos encerramentos de empresas, voltaram a aumentar em Novembro, registando um crescimento de 26,5%, seguindo uma tendência que se verifica desde Abril. Esta subida acompanha o aumento do número de empresas no tecido empresarial ocorrido nos últimos anos, sendo transversal a todos os distritos e sectores.

Neste âmbito, o sector que se destacou foi o da Construção (mais 482 encerramentos, o que representa um aumento de 35,2%), que acompanha o aumento do nascimento de empresas, traduzindo-se assim em alguma renovação empresarial.

A Informa D&B revela ainda que os sectores que mais contribuíram para a subida dos encerramentos são de elevada importância nas exportações, como é o caso das Indústrias Transformadoras, onde os fechos cresceram 42,4% para 542, e dos grossistas, com um aumento de 47,9% para 540.

Relativamente às insolvências, mantém-se a tendência de descida dos últimos anos, com o número de novos processos a cair 12,7%, de Janeiro a Novembro. A grande maioria das novas insolvências concentram-se nos sectores das Indústrias Transformadoras, Retalho, Serviços, Construção e Grossistas.

 

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*