Desenvolver competências através do boxe

Mais do que apenas um desporto de combate, o boxe permite desenvolver outras valências importantes para quem tem que diariamente tomar decisões estratégicas.

 

O Vitoria Nobre Arte é o primeiro clube de boxe misto inspirado dos “white colar boxing Club” anglo-saxónicos. Nasceu da amizade improvável entre Pedro Matos, tricampeão nacional de boxe e Alexandre Raton, um empresário francês, que partilham a mesma paixão: a prática de Boxe. Juntos, criaram um conceito diferenciado dirigido sobretudo aos gestores, homens e mulheres, em que os valores principais dos desportos de combate contribuem para desenvolver a sua eficácia profissional.

 

Pedro Matos revela algumas competências que a prática do boxe pode ajudar a desenvolver.

 

Auto confiança: O boxe permite desenvolver um plano físico e mental. Consciente do seus limites e suas capacidades, podemos controlar realmente o que podemos alcançar.

– Gestão do Stress: O Boxe é um desporto com um ritmo intenso que ensina a manter toda a lucidez para poder tomar as decisões certas numa situação de stress importante.

– Auto controlo: Por se tratar dum desporto de contacto, é imperativo saber controlar-se. É necessário saber dosear o esforço, variar a agressividade/intensidade sem nunca perder o controlo.

– Concentração: O boxe não permite momentos de inatenção que dariam logo abertura e vantagem ao seu adversário. Implica uma observação permanente do outro e uma completa disponibilidade para saber aproveitar todas as oportunidades. Um treino de boxe é uma forma de libertar a mente, pois é difícil estar a treinar e a pensar em outras coisas.

– Agilidade: O boxe é um desporto que implica fingir, esquivar, bater sabendo imediatamente adaptar-se aos movimentos do adversário sem nunca perder a liderança.

– Desafiante: O boxe exige esforço e coragem. Necessita de empenho e coloca provas que temos que saber aceitar e esforçar para ultrapassar.

– Higiene de vida: O boxe exige saber criar uma sintonia perfeita entre a fisiologia, a força mental e as capacidades intelectuais.

 

«Ser líder é muitas vezes associado a um estatuto e a competências, nomeadamente cerebrais, reduzindo assim a liderança ao facto intelectual. Ora, a metalinguagem fisiológica (postura, movimento, olhar) tem um papel fundamental nesse campo», defende o tricampeão nacional de boxe.

 

Mais informações sobre o Vitória Nobre Arte em no site.

Veja também estas notícias.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*