Foco no desenvolvimento das equipas

Assegurar que têm os melhores profissionais do mercado, que acrescentem valor e impacto à organização, bem como criar um contexto em que as pessoas consigam desenvolver o seu máximo potencial, são prioridades estratégicas na Renault Portugal.

Por Ana Leonor Martins | Fotos Nuno Carrancho

 

Quando o convite para assumir a direcção de Recursos Humanos da Renault Portugal surgiu, há pouco mais de um ano, Patrícia Pereira já trabalhava numa outra empresa do Grupo, a RCI Bank And Services, e soube logo que era um desafio irrecusável. «Primeiro por já conhecer a casa e por lhe reconhecer um sentido de excelência a vários níveis: em termos de visão e de estratégia, excelência de profissionais e de resultados. E em segundo lugar porque depois de um percurso profissional iniciado em gestão de Recursos Humanos, e posteriormente tendo passado pelo Marketing, fazia sentido voltar às origens e à minha área de paixão.»


O que definiu como prioridades de actuação quando assumiu a direcção de Recursos Humanos da Renault Portugal?
Definimos quatro eixos estratégicos principais. Definir uma gestão de Recursos Humanos alinhada com a cultura da empresa, com o negócio, e com as transformações e desafios inerentes ao sector e ao mercado de uma forma global, de forma a preparar antecipadamente o futuro, é um deles. Outro é a atracção e retenção de talento, assegurando que temos as pessoas certas nos lugares certos, pois queremos ter os melhores profissionais do mercado que acrescentem valor e impacto à organização. Para isso temos que desenvolver o employer branding, de forma a continuarmos a ter uma posição de destaque como empregador, no actual contexto de guerra de talentos.

O desenvolvimento de talento e de competências é outra prioridade: criar um contexto em que as pessoas consigam desenvolver o seu máximo potencial e engagement; investir em planos de carreira e de formação personalizados e em oportunidades de evolução, seja em crescimento lateral ou vertical; continuar a apostar nas mobilidades internas entre diferentes unidades de negócio e entre as várias empresas do Grupo Renault, ou a nível internacional, oferecendo assim aos colaboradores uma panóplia mais vasta de oportunidades que lhes permita crescer e adquirir novas competências e conhecimentos, sem terem de sair do Grupo.

Por último, continuar a desenvolver estratégias para promover o equilíbrio entre a vida privada e a vida laboral, que é cada vez mais um factor valorizado pelos colaboradores, estando em diversos estudos no top 3 dos elementos prioritários na tomada de decisão ao escolher uma empresa para trabalhar.

 

Quais as principais mudanças, que promoveu na estratégia de Gestão de Pessoas, se é que existiram?
Claro que há sempre mudanças, dado que cada pessoa imprime um cunho pessoal e um enfoque diferente à função. Creio que a principal mudança passa sobretudo pela transformação da organização em consonância com as tendências futuras em termos de Gestão de Pessoas: preparar a organização e a cultura da empresa para novas formas de trabalhar e com processos mais ágeis; adoptar novas ferramentas que nos permitam trabalhar de forma mais rápida e eficaz; trabalhar mais em rede e com um sistema piramidal hierárquico mais flat; engagement em vez de controlo; libertar o potencial e alimentar a criatividade e a inovação, incentivando os colaboradores a arriscar; e fomentar uma liderança focada numa maior autonomia e desenvolvimento das equipas.

 

Partilhe algumas práticas de Gestão de Pessoas que considere particularmente inovadoras ou diferenciadoras na Renault Portugal.
Como já falei dos aspectos técnicos, vou optar por falar agora do lado mais fun, e em algumas regalias e programas que a empresa criou a pensar no bem-estar dos colaboradores: para além de termos mais três dias de férias do que os previstos na lei, os colaboradores não trabalham no dia de aniversário; existe flexibilidade de horários e tolerância às sextas-feiras à tarde; às quintas-feiras os colaboradores têm a possibilidade de fazer massagens e tratamentos na empresa durante o horário de trabalho; temos incentivos à actividade desportiva; e ainda algumas novidades que vamos lançar em breve como aulas de yoga nas nossas instalações – que foi inclusive sugestão de alguns colaboradores -, a criação do dia da família na empresa e a realização de workshops ligados a questões de estilo de vida saudável e bem-estar, como por exemplo nutrição, meditação e mindfulness.

Leia a entrevista na íntegra na edição de Abril da Human Resources.

Veja também estas entrevistas.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*