Geração millennial: Um novo desafio?

A par da transformação digital, surgiu uma nova geração, que já chegou ao mercado de trabalho. As grandes empresas querem conquistar jovens talentosos, mas será que sabem, realmente, o que é que os millennials procuram?

 

Por José Oliveira, CEO da BI4ALL

 

As empresas enfrentam hoje momentos de enorme mudança. Não importa o sector, a dimensão ou a solidez do negócio, todas têm, actualmente, um conjunto de desafios que, obrigatoriamente, têm de conseguir superar.

Em poucos anos, o desenvolvimento acelerado da tecnologia, bem como a velocidade da própria inovação, alterou a forma como nos relacionamos, como trabalhamos e, sobretudo, como nos organizamos no nosso dia-a-dia. A par da transformação digital, surgiu uma nova geração, que já chegou, efectivamente, ao mercado de trabalho, e que foi influenciada, em todo o seu percurso, pelas constantes inovações tecnológicas dos últimos anos, bem como pelas novas formas de interacção que daí resultam. E, na verdade, já não sabe viver, nem trabalhar sem elas.

Os millennials, que são quem está, sobretudo, na origem destas transformações, são totalmente diferentes das gerações antepassadas. Nasceram na era dos equipamentos electrónicos, do crescimento rápido do online e do mundo das redes sociais, o que os torna mais exigentes a nível pessoal e profissional, mais optimistas e sem medo de novos desafios. Apenas escolhem uma empresa para trabalhar se partilharem os mesmos valores e é aqui que as organizações podem agir e mostrar o quanto são diferentes.

Consequentemente, com a entrada destes novos profissionais, começam a surgir alterações demográficas nos postos de trabalho, que estão a obrigar as empresas a redesenharem toda a sua estrutura organizacional, defendendo e incentivando uma cultura muito mais centrada nos seus profissionais.

De facto, para quem gere recursos humanos numa empresa o desafio é enorme e bastante exigente. A crescente diversidade geracional com que actualmente as organizações têm de lidar com a entrada dos millennials, a trabalhar lado a lado com duas gerações totalmente diferentes, os chamados baby boomer e a geração X, é um desafio para as empresas. É agora necessário conseguir gerir três gerações muito diferentes e motivadas por razões completamente distintas. As pessoas são distinguidas, não apenas pelas diferenças de idades mas, sobretudo, por vivências, envolvência e hábitos diferenciados, cada vez mais, marcadas pela globalização; onde expansão é sinónimo de saltar fronteiras e integrar novas culturas no universo de colaboradores.

Desta forma, as grandes empresas querem conquistar jovens talentosos e com vontade de fazer a diferença nas suas equipas. Mas…. Será que sabem, realmente, o que é que os millennials procuram no mundo do trabalho? Eles não se preocupam apenas com o salário. Querem também flexibilidade, equilíbrio entre vida profissional e pessoal e espaço para o crescimento e desenvolvimento do seu talento; procuram novas oportunidades e experiências profissionais; valorizam a ética e a sustentabilidade das empresas e defendem que o foco destas deve ultrapassar o lucro, segundo as conclusões do estudo Millennials@work.

Esta é a geração, que revolucionou e continua a revolucionar, constantemente, a forma de estar no local de trabalho, quer em Portugal, quer no resto do mundo. Exemplo disso é a área de tecnologia, que se tem estado a desenvolver a uma velocidade nunca antes vista, com o surgimento e aprofundamento de novas áreas, como o big data, business intelligence, inteligência artificial, data science, entre outras, o que obriga as empresas a apostarem na procura por novos talentos.

As aspirações de carreira, as atitudes sobre o trabalho e o conhecimento das novas tecnologias estão a definir a cultura do século XXI. Os millennials são mais numerosos do que a geração anterior e, por isso, é urgente que as empresas ganhem consciência de que têm de conseguir compreender esta nova geração. Deste modo, o maior desafio perante os millennial é conseguir atrair e reter esses novos elementos nas suas equipas.

Gerir e liderar pessoas sempre foi a parte mais difícil de uma organização. É essencial que os profissionais sintam que podem contribuir para o crescimento da empresa e, por isso, é importante motivá-los e fazê-los sentir como parte fundamental do seu desenvolvimento. É necessário saber ouvi-los e apostar neles, assim como devemos criar oportunidades para que possam evoluir e que permitam actualizar constantemente as suas formações. E, igualmente importante, é a gestão do ambiente, a fim de criar um espírito de colaboração e uma cultura de confiança que possibilite o crescimento e o desenvolvimento dos colaboradores, ao mesmo tempo que os fazem sentir reconhecidos.

 

Veja também estas notícias.

 

 

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*