Os 5 mitos da imagem profissional

Ter uma boa imagem não é sinónimo de ter uma boa aparência física. A imagem engloba também a nossa linguagem verbal e não verbal, os gestos e a postura que assumimos perante as outras pessoas.

Por Alexandra Lopes, consultora de Imagem Pessoal e Empresarial

 

A imagem é a forma como nos vêem, pois influencia tudo na nossa vida, tanto a nível pessoal como profissional. Por essa razão, ter boa imagem é crucial para o sucesso no nosso dia a dia.

Conheça os principais mitos da imagem em contexto profissional:

– Roupa cara é sinónimo de uma boa imagem
Para termos uma boa imagem, não é necessário gastarmos muito dinheiro em roupa. O importante é realizar compras inteligentes, ou seja, com uma boa relação qualidade-preço. É essencial construir um guarda-roupa com peças básicas (cores neutras, que combinem com tudo), possibilitando o máximo de combinações de looks possíveis.


– Roupa larga emagrece
Nada mais errado! Se não estamos confortáveis com o nosso peso e pretendemos aparentar um peso inferior ao que temos, não devemos vestir roupa demasiado larga. Assim só iremos acrescentar mais peso ao que temos. A melhor opção será apostar em visuais monocromáticos ou cores mais escuras, preferindo tecidos lisos em detrimento de padrões.

– A experiência é o mais importante
No mercado de trabalho, a experiência é extremamente importante num colaborador de uma empresa. No entanto, e num mundo cada vez mais competitivo, em que facilmente há vários colaboradores com experiência semelhante, o critério de desempate numa eventual promoção poderá ser a imagem. Assim, a imagem assumirá o papel mais importante e, por isso, não a devemos descurar.

– Uma boa imagem depende da idade
Ter uma boa imagem é saber realçar os nossos pontos fortes e disfarçar os pontos menos fortes, independentemente da idade que temos. Para tal, é fundamental conhecermos o nosso formato de corpo para escolhermos peças de roupa que nos favoreçam.

– Roupa de marca causa sempre uma boa impressão
Vestir roupa de marca ainda tem, para muitos, a ideia de conferir um maior status. No entanto, poderá ter o efeito oposto em contexto profissional, com interpretações erradas e negativas a nosso respeito. A discrição e a elegância são muito mais importantes do que a ostentação, não dependendo da escolha de roupa ou acessórios de marca, mas sim de uma boa postura e atitude perante os restantes colegas e clientes.

Veja também estes artigos.

 

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*