SAS prepara-se para encerrar postos de trabalho

A SAS Group planeia suprimir postos de trabalho administrativos e alienar activos, incluindo uma divisão de handling e a subsidiária norueguesa Wideroe, com o objectivo de reduzir a sua força laboral em mais de 7 mil pessoas e de evitar o colapso.

Acresce que a maior companhia aérea escandinava vai desfazer-se de imobiliário em aeroportos e de motores de avião não utilizados para encaixar um total de 3 mil milhões de coroas (349,6 milhões de euros), segundo um comunicado ontem divulgado. Cerca de 800 empregos administrativos serão eliminados através de uma centralização das actividades na base da transportadora, em Estocolmo.

«Não podemos continuar a operar se não demonstrarmos que podemos alcançar um lucro», avançou à imprensa o CEO, Rickard Gustafson. «Os fornecedores de crédito advertiram-nos de que nos concedem esta oportunidade para recuperarmos «a companhia e, se não demonstrarmos rapidamente que conseguimos fazê-lo, não nos apoiarão, explicou o gestor.

A SAS, deficitária em termos anuais desde 2007, já suprimiu 300 postos de trabalho na área administrativa este ano, no âmbito de um plano anterior que apontava para o corte de 5% das despesas e para o reforço dos ganhos em 5 mil milhões de coroas (582,7 milhões de euros) até 2013. As negociações estão em curso com os potenciais compradores do negócio de handling, que emprega 5 mil pessoas, e «todas as opções» estão a ser consideradas no caso da Wideroe, que tem 1400 funcionários.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*