Um espírito de equipa distintivo

Um dos lemas da Omega Pharma é que ninguém é perfeito, mas uma equipa pode ser. Foi a resiliência das pessoas que mais surpreendeu Beatriz Caeiro quando integrou a farmacêutica e, hoje, como directora-geral, é nessas pessoas que confia para conseguir alcançar os ambiciosos objectivos a que se propõe.

 

Por Ana Leonor Martins | Fotos Nuno Carrancho

 

Beatriz Caeiro integrou a Omega Pharma Portugal em 2012, como brand manager e, passados seis anos, foi convidada para assumir a direcção-geral da farmacêutica no país. Considera-se o exemplo real de que muitas vezes é preciso dar um passo atrás para depois dar dois em frente. Assume o novo desafio com a consciência de que aumentam as responsabilidades mas sobretudo com a vontade de atingir grandes objectivos para a empresa e de construir uma equipa consistente e satisfeita.

 

Iniciou o seu percurso na Omega Pharma Portugal em 2012, como brand manager. Recorda-se o que mais a surpreendeu na empresa, na altura?

A minha entrada na Omega-Pharma coincidiu com uma fase de grandes mudanças a nível estrutural, com a entrada de uma nova equipa de gestão. Para mim representou uma grande aprendizagem de gestão da mudança e foi um ano para recordar processos e estratégias de trabalho, uma vez que estive quatro anos afastada da área do Marketing farmacêutico, porque me empenhei em desenvolver a minha faceta empreendedora, com a criação de uma marca de roupa para grávida, entre 2008 e 2012.

A Omega Pharma foi uma excelente oportunidade para regressar à vida profissional ligada a esta área e para continuar a construir um percurso sólido na indústria farmacêutica. O que mais me surpreendeu na empresa durante esta fase de profundas alterações estruturais e da forma de trabalhar, foi a resiliência das pessoas, a abertura à mudança, a dedicação e a capacidade de trabalho. Com a entrada em vigor da nova equipa de gestão, que trouxe consigo uma abordagem ao mercado bastante inovadora, sobressaiu o sentido de missão e dedicação ao trabalho e o foco em atingir os melhores resultados da forma mais eficiente possível. Juntos, construímos um excelente ambiente de trabalho e vivemos diariamente os valores da empresa – responsabilidade, integridade e respeito.

 

Integrou a empresa em 2012 e no início deste ano foi nomeada directora-geral. Foi uma ascensão rápida. Como encarou este reconhecimento e o que a fez aceitar este desafio?

A evolução ocorreu num curto espaço de tempo e acredito que, se aconteceu desta forma, foi porque os resultados que atingi e o trabalho que desenvolvi desde que entrei na Omega Pharma foram do agrado da equipa. E, claro, este reconhecimento deixou-me muito feliz.

O ambiente de trabalho e o espírito de equipa que se vive dentro da empresa foram dois dos motivos que me levaram a aceitar o novo cargo. Por outro lado, ser directora-geral da Omega Pharma é um novo estímulo e um grande desafio. Aumentam as responsabilidades, a vontade de atingir grandes objectivos para a empresa, a necessidade de dar resposta a diversas questões e de construir uma equipa consistente e satisfeita. E tudo isto agrada-me bastante.

 

Que objectivos se propõe atingir a curto/ médio prazo e o que definiu como acções, ou “batalhas”, prioritárias?

Actualmente, a Omega Pharma Portugal é uma empresa muito sólida. Somos a quinta empresa do ranking Consumer Healthcare e o nosso objectivo é alcançar o quarto lugar já em 2018, representando uma das nossas prioridades a curto prazo. A médio prazo, queremos entrar no pódio do ranking Consumer Healthcare. Para conseguir concretizar tudo isto, temos como prioridade melhorar o portefólio de produtos, lançando inovações no mercado. Mas só conseguiremos atingir os nossos ambiciosos objectivos com uma equipa altamente competente e motivada. Por isso, uma das minhas missões prioritárias é trabalhar na retenção dos nossos talentos e melhorar ainda mais o trabalho de equipa inter-departamental. Já estabeleci um conjunto de acções com vista a atingir estes objectivos.

 

Que prioridades definiu ao nível da Gestão de Pessoas?

Porque não tenho dúvidas de que as pessoas que fazem parte da equipa Omega Pharma são essenciais para alcançar os objectivos a que nos propomos, as minhas prioridades passam por mantê-las motivadas e conseguir que se sintam orgulhosas por fazerem parte desta equipa. É igualmente importante conseguir estimulá-las e desafiá-las no dia-a-dia, para que os grandes resultados continuem sempre a aparecer. A gestão de carreiras, os planos de incentivos, a formação, os fringe benefits, a possibilidade de carreiras internacionais dentro do grupo, são elementos que considero prioritários para que todos se sintam reconhecidos.  A nossa política de transparência nas decisões que envolvem pessoas, baseada na meritocracia, é também fundamental para a construção do fantástico espírito de equipa que nós temos.

 

Leia a entrevista na íntegra na edição de Março da Human Resources Portugal.

 

Veja também estas entrevistas.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*