Formação personalizada: um passo para a Gestão de Talento sem fórmulas

Existe um desafio que todas as empresas enfrentam: tornar única a experiência de cada colaborador. É uma necessidade cada vez mais sentida numa sociedade em que todos queremos escolher programas à nossa medida.

 

Por Luís Antunes, director de Recursos Humanos da PHC

 

O nosso dia-a-dia é marcado por essa liberdade. Queremos playlists à nossa medida na nossa conta de Spotify, queremos ver as nossas séries preferidas em qualquer lugar com a Netflix e queremos escolher um restaurante através do Zomato. Esta revolução da personalização tem a batuta do software, mas vai muito além disso. Queremos a personalização na nossa vida e tudo o que é massificado parece um prato sem sabor. Falta-lhe um ingrediente único, feito à nossa medida.

Se queremos o tailor made em tudo, por que motivo no trabalho será diferente? Não é. Aliás, é exactamente esta personalização que a Deloitte destaca como uma das tendências de capital humano a seguir para este ano. No relatório “2018 Deloitte Global Human Capital Trends”, refere que, mais do que carreiras tradicionais, os colaboradores procuram experiências de desenvolvimento pessoal personalizadas.

Esta personalização da experiência no local de trabalho é um desafio para o gestor dos recursos humanos moderno que quer ter equipas motivadas e uma empresa atractiva para trabalhar. Num cenário de competição global por talentos, uma empresa bem-sucedida providencia soluções personalizadas para cada colaborador, de forma a que cada um possa crescer dentro da empresa e a nível pessoal.

Na PHC temos feito este caminho. Nos últimos anos, realizámos uma aposta integrada no desenvolvimento pessoal de cada um. E, no último ano, colocámos em marcha uma iniciativa focada exclusivamente no desenvolvimento da atitude para a Felicidade, em várias dimensões, que tão bons resultados trouxe à vida na empresa.

Depois de trabalharmos estas competências transversais, este é o ano do desenvolvimento pessoal personalizado. Sabemos que cada colaborador é único nas suas necessidades e, por isso, precisa de trabalhar determinadas áreas de forma específica e individualizada.

Das bases aos líderes, concretizar o melhor do potencial de cada pessoa que trabalha connosco é ganhar uma vantagem competitiva em todas as áreas da empresa – e proporcionar-lhes uma jornada única dentro da organização, muito mais além do que uma evolução tradicional de carreira.

Primeiro, o coaching. Com a ajuda deste tipo de formação, um colaborador pode encontrar respostas dentro de si para trabalhar áreas específicas ao seu desenvolvimento. Investimos num programa voluntário, onde cada participante tem a oportunidade de desenvolver competências específicas.

Depois, o mentoring. Um programa com valor acrescentado entre colaboradores, pondo competências de um ao serviço de outro, para que todos possam trabalhar as áreas comportamentais. Mentores internos voluntários apoiam o desenvolvimento pessoal outros colegas.

Mas não só. O mindfulness é cada vez mais uma ferramenta empresarial para trabalhar o foco. Com sessões semanais abertas, desenvolve-se a capacidade de foco e a inteligência emocional, permitindo aproveitar ainda mais o trabalho realizado nos restantes programas.

Formação e programas de desenvolvimento à medida são uma forma de preparar talentos para os próximos desafios profissionais. Mas é também um modelo para aumentar a motivação e a produtividade, sobretudo entre Millennials e a Geração Z. Estas são gerações particularmente desafiantes. Afinal, são as mesmas que vivem a personalização e vulgarizaram o uso do Spotify e da Netflix.

Não somos todos Millennials ou Z, é certo. Mas também usamos as nossas contas de Spotify e também damos valor à personalização. Programas empresariais personalizados de coaching, mentoring e de mindfulness são exemplos de uma resposta empresarial à sociedade de hoje.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*