UPS continua a aposta no voluntariado

No 16.º Mês do Voluntário Global, a empresa de logística anunciou que vai alargar a mais cerca de 40% dos seus funcionários, em cinco continentes, a possibilidade de contribuírem em 450 projectos de serviço comunitário. 

 

Em 2014, o CEO David Abney prometeu que os funcionários da UPS contribuiriam com 20 milhões de horas de voluntariado até ao final de 2020 e a empresa está perto de atingir essa meta.

Para Outubro, Mês do Voluntário Global da UPS, estima-se  que os funcionários dediquem 375 mil horas de trabalho voluntário  a projectos na América do Norte, Europa, América Latina, Ásia Pacífico e subcontinente indiano, Oriente Médio e África. Os voluntários vão concentrar-se no prosseguimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e na ajuda a comunidades recentemente destruídas por desastres.

Em Portugal, os voluntários da UPS vão, durante este mês, participar na reconstrução de uma vivenda destruída pelos incêndios do ano passado, em cooperação com a Associação GOBS – Grupo Operacional de Busca e Salvamento, na zona do Porto.

Em 2017, os funcionários da empresa, atingiram um recorde de 2,9 milhões de horas de trabalho voluntário, o que equivale a mais de 80 milhões de dólares de impacto económico.

Todos os anos, no final do Mês do Voluntário Global, a UPS doa 10 mil dólares a 14 organizações sem fins lucrativos que acolhem colaboradores voluntários da empresa, em cada região dos Estados Unidos, na região internacional e em cada unidade de negócio.

Eduardo Martinez, presidente da The UPS Foundation e Diretor de Diversidade e Inclusão da UPS, salientou que «o voluntariado é uma parte instrumental do desenvolvimento dos colaboradores, nomeadamente no fornecimento de esforços de socorro após eventos extraordinários como a recente destruição provocada pelo furacão Florence e pelo tufão Manghut».

Veja também estas notícias.

 

 

Recomendar
  • gplus
  • pinterest

Comentar este artigo

*